Estima-se que 1,85 milhões de pessoas foram afectadas e estão em necessidade de assistência e proteção humanitária. O número integra cerca de 74.650 mulheres grávidas. Dados oficiais indicam que o número de mortes tenha ultrapassado 600 pessoas, ao passo que o número de casas destruídas ou danificadas foi estimado em pouco mais 239 mil.

Enquanto a extensão total do impacto do ciclone Idai ainda está sendo avaliada, os relatórios iniciais indicam danos significativos à infraestruturas e aos meios de subsistência, com uma estimativa de 3.000 km2 de terra submersa.

Mais de 500.000 hectares de culturas foram danificadas, o que deverá aumentar significativamente a insegurança alimentar, uma vez que a inundação coincidiu com a época de colheita anual. Mais de 3.100 escolas foram destruídas, juntamente com pelo menos 45 centros de saúde.

O ciclone Idai comprometeu o acesso à água potável, especialmente para as pessoas deslocadas que vivem em centros de acomodação definitivos criados pelo Governo, atravês do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

Com o apoio do seu escritório regional e também do Reino Unido, a WaterAid lançou uma operação de resposta à emergências na Província da Zambézia, mais concretamente nos distritos de Luabo, Mocuba e dois bairros críticos da Cidade de Quelimane, alcançando mais de 2.000 famílias equivalentes a mais de 10.000 pessoas com kits essenciais de higiene e dignidade, incluindo produtos de purificação de água, reabilitação de pontos de água e construção de latrinas, promoção de higiene para a população afectada na província.

Resposta à emergência
WaterAid/Aleksandra Lukasiewicz
Famílias dos distritos de Luabo e Mocuba recebem kits de emergência da WaterAid.

Para o efeito, a WaterAid estabeleceu uma parceria com a Kukumbi, uma organização da Sociedade Civil baseada na Província da Zambézia, com uma vasta experiência na área de emergência

A resposta de emergência da WaterAid vai durar 6 meses e visa aliviar o sofrimento das comunidades afectadas pelo ciclone, atravês da provisão de água limpa, purificadores de água (Certeza), sanitários e promoção de saneamento e higiene, acesso a instalações de saneamento (autoconstrução de latrinas e buracos de lixo) e consciencialização sobre boas práticas de higiene para reduzir o risco de doenças evitáveis.

A médio prazo, a WaterAid vai focar suas intervenções na componente de assistência, recuperação e reabilitação, apoiando as comunidades afectadas na reconstrução de instalações de Água, Saneamento e Higiene (ASH) nas comunidades, incluindo construção / reabilitação de pontos de água, instalações de saneamento e promoção de higiene.

Resposta à emergência
WaterAid/Pedro Pimentel
A médio prazo, a WaterAid pretende apoiar, entre outros, na reconstrução de fontes de abastecimento de água

Durante esta fase, também o projecto pretende fortalecer a capacidade dos parceiros e comunidades locais para garantir a sustentabilidade dos serviços e infraestrutura de ASH nas áreas afectadas pelas inundações.